Acusado de estupro em Caeté é apresentado pela Polícia Civil

Categoria: Casos de Policia , Criado em Sábado, 13 Abril 2019 18:21 Escrito por Gustavo Pinheiro ,
Imprimir E-mail

delegados Bruno Afonso E Guilherme Catão Coletiva

A Polícia Civil de Minas Gerais apresentou, terça-feira, 9, em Sabará, Gilson Pereira de Souza, 49 anos, investigado pelo crime de estupro de vulnerável. O suspeito foi localizado em Caeté, no último dia 28, e, desde então, permanece preso preventivamente.

gilson pereira candidato deputado Foto Reprodução Internet

O investigado foi candidato a deputado estadual nas eleições de 2018 e, segundo apurado, era conhecido pela população de Caeté por promover ações sociais envolvendo crianças carentes para facilitar a aproximação com as vítimas.

Abusos sexuais

Segundo o delegado Guilherme Catão, titular das investigações, Gilson Pereira de Souza teria aliciado adolescentes do bairro Emboabas, por meio de vantagens econômicas e ameaças, para manter relações sexuais com esses jovens. Durante as apurações, foram identificadas quatro vítimas do sexo masculino, com idades entre 12 e 17 anos.

O delegado afirmou que Gilson nega os fatos e se diz perseguido por uma das vítimas para prejudicá-lo. “O inquérito policial foi concluído e encaminhado à Justiça com indiciamento do acusado por estupro de vulnerável e representação pela prisão preventiva dele”, afirmou Catão.

Outros crimes

O suspeito já foi indiciado, em 2015, na cidade de Sabará também pelo mesmo crime. No ano de 2018 o suspeito foi preso na cidade de Caeté por porte ilegal de arma de fogo. Na ocasião, pagou uma fiança no valor de R$ 2.000 e respondeu em liberdade. Segundo o delegado Guilherme Catão, essa ocorrência foi uma pequena parte, porém muito importante, de uma situação muito maior e complexa.

Em entrevista coletiva, o delegado regional, Bruno Affonso, destacou a complexidade do inquérito. “Uma investigação de estupro de vulnerável requer uma apuração minuciosa. Nesse caso, a análise de um conjunto de indícios possibilitou a montagem de um quebra-cabeça, que fundamentou o indiciamento do suspeito”, afirma.

PRISÃO - O suspeito foi encaminhado ao Sistema Prisional e encontra-se à disposição da Justiça.