sitevcnanet



Doze mortes e 34 sob suspeita de febre amarela em MG

Categoria: Destaques , Criado em Terça, 16 Janeiro 2018 07:50 Escrito por O Tempo ,
Imprimir E-mail

vacina1454
Quem não se vacinou ainda deve procurar postos de saúde 

A febre amarela avança em Minas Gerais, com crescimento no número de cidades atingidas, de mortes suspeitas e confirmadas e também de casos sob investigação. A cidade com o maior registro de óbitos é Nova Lima, na região metropolitana, que teve ontem o quarto caso constatado. Goianá, na Zona da Mata, também confirmou um óbito nesta segunda-feira (15), totalizando 12 no Estado – 11 confirmados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) e mais um informado pela Prefeitura de Barra Longa, também na Zona da Mata, mas ainda fora das estatísticas oficiais do Estado.

Belo Horizonte, que até então não aparecia na lista da SES, entrou no balanço com três ocorrências de internação e cura sob averiguação. Outras quatro pessoas teriam morrido no Hospital Eduardo de Menezes, na capital, com indícios da doença, sendo duas oriundas de Caeté, na região metropolitana, e duas de Mariana, na região Central. No total, o Estado tem 34 casos em investigação, sendo oito óbitos e 26 internados ou curados.

A morte registrada em Goianá segue o padrão dos outros casos do Estado: era um homem de 40 anos que não tinha tomado a vacina, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde da cidade.

“Ele tinha certa resistência em cuidar da saúde, morava no centro de Goianá, e toda a família tinha se imunizado”, relatou o secretário Municipal de Saúde, Lúcio Alvim.

Segundo ele, o paciente trabalhava com motosserra e fez serviços no fim do ano passado em uma área de mata, na zona rural de Goianá, na divisa com as cidades de São João Nepomuceno e Rio Novo, na Zona da Mata.

“Todos os trabalhadores do local tinham tomado vacina desde a campanha que fizemos no ano passado. Não tinha macaco morto lá nem caso suspeito”, completou Alvim.

A cobertura vacinal em Goianá é de mais de 80%, sendo que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é acima de 95%. O secretário acredita que o índice seja melhor considerando as pessoas que trabalham em Juiz de Fora e se vacinaram lá, mas ainda assim faz o alerta. “Infelizmente a população ainda não acordou. Estamos intensificando a vacinação, indo de casa em casa, mas tem muita gente que não aceita se imunizar”, afirmou.

Em Nova Lima, a morte foi de um homem de 47 anos, morador do bairro Santa Rita, que teria ido a São Paulo cerca de 15 dias antes de os primeiros sintomas da doença se manifestarem.

Mutirão

Em virtude dos novos casos da doença na região metropolitana, a Prefeitura de Belo Horizonte vai abrir os centros de saúde no próximo sábado, dia 20, para vacinação.

 Caeté

A Prefeitura de Caeté informou que tem três casos em investigação, sendo um óbito – outra óbito teria ocorrido neste fim de semana no Hospital Eduardo de Menezes, ainda não confirmada. Três macacos mortos foram encontrados na semana passada e estão em análise.

 Mariana

A cidade, que já tem dois óbitos confirmados, tem mais dois pacientes sob investigação. Um macaco encontrado tinha a doença.