Preso pastor suspeito de abusar de duas crianças

Categoria: Casos de Policia , Criado em Terça, 17 Abril 2018 19:13 Escrito por PC MG ,
Imprimir E-mail

criança fundo

A Polícia Civil de Minas Gerais realizou, nessa sexta-feira (13), a prisão de W.A.O., 50 anos, suspeito de estupro de vulnerável contra duas crianças de nove e oito anos, na cidade de Boa Esperança. Segundo apurado em inquérito policial, o suspeito é pastor de igreja evangélica e possuía uma relação muito próxima às famílias dos menores.

Os familiares das vítimas perceberam atitudes estranhas nas crianças, que começaram a apresentar “comportamento sexual” incompatível com a idade delas. Diante disso, um dos familiares conversou com o menor de nove anos que, após alguma relutância, revelou ter sido sexualmente abusada pelo suspeito. Segundo seu relato o suspeito teria, por mais de uma vez, acariciado o corpo da criança e, inclusive, introduzido um dedo em sua genitália.

Em seguida, o familiar também conversou com a segunda vítima que, igualmente, revelou ter sido vítima de abusos, por parte do pastor, da mesma forma ocorrida com a primeira criança.

As crianças foram ouvidas na Delegacia de Polícia e revelaram com relativa precisão de detalhes os abusos sofridos. O que, segundo o Delegado Alexandre Boaventura, responsável pelas investigações, “considerando a idade delas, faz prova quase que cabal do crime”, afirmou.

Segundo as vítimas, o pastor se aproveitava de momentos em que estava a sós com as crianças para acariciar os corpos delas e, inclusive, em mais de uma ocasião, ele inseriu os dedos nas genitálias das crianças. Os crimes ocorreram na casa das crianças, na casa do pastor e em uma cachoeira próximo à casa de uma das crianças.

Os familiares das vítimas também foram ouvidos e corroboraram as versões das crianças, detalhando o modo como chegaram à conclusão de que os abusos foram praticados. Indagado pelas famílias, o suspeito chegou a dizer que “era homem” e que “as crianças é que tiravam as saias para ele”.

O suspeito vinha ainda pressionando as famílias das vítimas para que não tomassem providências. O pastor foi ouvido na Delegacia e negou a prática delitiva, mas, contudo, optou por prestar esclarecimentos somente “em juízo”.

O suspeito foi indiciado pelo estupro de vulnerável das duas vítimas.